Jacundá inaugura sala de atendimento humanizado para mulheres vítimas de violência

0

A delegacia de Polícia Civil de Jacundá agora conta com um espaço dedicado ao atendimento humanizado de mulheres vítimas de violência. O local foi inaugurado nessa quinta-feira (9), foi batizado de “sala lilás” e será exclusivo para receber mulheres em situação de vulnerabilidade. “Essas mulheres chegam à delegacia em um profundo estado de fragilidade física e emocional e precisam se sentir seguras e acolhidas. Contar com esse espaço vai fazer uma diferença enorme no atendimento que prestamos às vítimas”, comentou o superintendente regional de Polícia Civil, Tiago Mendes.

O promotor de justiça Franklin Lobato participou do ato inaugural e destacou a atuação de Jacundá na defesa dos direitos das mulheres. “Jacundá é um exemplo para o estado do Pará, pois está a frente de muitas cidades maiores e até com mais recursos na proteção das mulheres. E eu espero que a experiência daqui se espalha por outros municípios”, afirmou o promotor de justiça, Franklin Lobato.

Após a inauguração, houve o encerramento dos 16 Dias de Ativismo pelo Fim da Violência Contra as Mulheres. Essa é uma campanha anual proposta pela Organização das Nações Unidas e que acontece no mundo inteiro. A cerimônia foi realizada na maçonaria diante de um grande público presente. Entre as autoridades, participaram a vereadora Raylane Soares, a coordenadora de Políticas Públicas para as Mulheres da Amat Carajás, Alanessa Ferreira da Silva, o delegado de Polícia Civil de Jacundá, Sérgio Máximo, o comandante da Companhia Independente de Polícia Militar, coronel Emmet Alexandre, o gerente de Suporte e Logística da área de Fomento do Banpará, Gabriel Gonçalves, a conselheira do Conselho Estadual de Políticas Públicas para as Mulheres, Celene Lima, e o pastor Vanderlei Dutra.

Para o prefeito Itonir Tavares, o importante é também dar meios para que as mulheres tenham condições de sair da situação de violência. “Desde o início do nosso governo, temos trabalhado no sentido de capacitar e dar oportunidade para que as mulheres consigam viver com dignidade. Essa também é uma forma de garantir a integridade delas que, muitas vezes, são chefes de família”, disse Itonir. “Essa foi uma necessidade identificada pela nossa equipe profissional que faz o acompanhamento das vítimas. Muitas delas vivem em situação de violência por dependência financeira dos companheiros e nosso papel também é oferecer condições para que essas mulheres se tornem independentes”, esclareceu Marta Costa, secretária de Políticas Públicas para as Mulheres (Sepom), que realizou a cerimônia e promoveu a campanha no município.

Compartilhar:

Os comentários estão fechados.

Acessibilidade